sexta-feira, 19 de novembro de 2010

AS TECNOLOGIAS TOMANDO ESPAÇO NA SALA DE AULA

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA GEAC: PRÁTICAS PEDAGÓGICAS COM TIC ORIENTADORA: MARISTELA MIDLEJ, RITA DOURADO E ARISTON EDUÃO CURSISTAS: ANA MARGARETE



AS TECNOLOGIAS TOMANDO ESPAÇO NA SALA DE AULA

“Precisamos pensar na dimensão social da ciência e da técnica e, com isso, superar a concepção de sermos apenas consumidores destas tecnologias e sim entendê-las como fruto de uma produção social”. (Nelson pretto)



As novas ferramentas de ensino estão tomando espaço significativo nas escolas. Nossos alunos(as) estão se apropriado destas ferramentas. Se o professor não se conectar nesse mundo virtual ficará para trás. Mas, Ao contrário, podemos usá-las para reesgnificar nossa prática, pensar em novas metodologias de ensino. Assim como diz Nelson pretto, precisamos pensar no uso destas novas tecnologias, não como meros consumidores, mas como produtores.

Por isso as escolas precisam também estar desenvolvendo projetos, para que o uso de ambientes, com a internet, como diz (Roseane, 2006) “A educação convencional, aquela realizada instituições escolares, também vem sofrendo alterações. Existe uma pressão bastante grande advinda da economia de mercado para que as escolas absorvam a internet como tecnologia educacional. (p.164).
Partindo deste pressuposto, percebo que as escolas precisam usar novas estratégias de ensino, para atrair o alunado, fazer o uso da internet com responsabilidade, e dessa forma estar produzido, pois é este o maior objetivo, com a TICs. (tecnologia da informação).

E importante pensar que a tecnologia não tem o mesmo significado para todos. O sentido dela se faz quando fazemos o uso e nos apropriamos dessas TICs, para produzir e ampliar a cultura na sociedade.

Pensado nestas novas metodologias, desenvolvi junto com a colega Eliana, um projeto: A calculadora compreendendo o sistema de numeração decimal, por sinal muito interessante. Fiz uma sequência para ser desenvolvido em cinco aulas, mas se tornou em oito. Observei que foi mais fácil para os alunos compreender o sistema de numeração decimal, através da calculadora do que com o material dourado. Os alunos desenvolveram cálculos mentais, também foi produtivo. O projeto está logo abaixo. E apresenta algumas consignas feita para os aducandos (as).
Quando eu pedi aos alunos que trouxessem a calculadora, para a aula do dia seguinte, ficaram contentes, dizendo que agora eles iriam fazer contas pela calculadora e seria mais fácil.

No dia seguinte todos estavam com a sua. E queria que eu começasse a aula naquele momento. Eu aproveitei aquela euforia e iniciei. No começo eles acharam um pouco difícil. Muitos disseram que não sabia fazer. Nesse momento, recorri à lousa para explicar cada passo que eu ditava.

Quando os mesmos perceberam o fascínio da atividade, não queriam parar mais. Eu percebi que até os que tinham dificuldade estavam interagindo como nunca, com entusiasmo.Respondia as questôes sem medo de errar. Houve momentos que eu precisei organizar as falas, pois todos queriam responder as questôes ao mesmo tempo.

Desenvolvendo estes projetos, estou usando a tecnologia como ferramenta, nas minhas aulas. já percebo resultados positivos na aprendizagem dos alunos e alunas. Eles estão realmente entusiasmados; é nesses momentos que a gente percebe que melhoramos a nossa prática. E as crianças realmente aprendem.
Ressalto que, segundo Arroyo (2004),

Reeducar nosso olhar, nossa sensibilidade para com os educandos e as educandas pode ser de extrema relevância na formação de um docente-educador. Pode mudar práticas e concepções, posturas e até planos de aula, de maneira tão radical que sejamos instigados(as) a aprender mais, a ler mais, a estudar como coletivos novas teorias, novas metodologias ou novas didáticas. (p.62)

Assim sendo, precisamos revigorar nossas aulas, não pensando em projetos temporários, mas, sim em uma prática constante de reintegração nos currículos. Para que assim os educandos tenham de fato uma educação de qualidade, para que o mesmo possa vir a ter uma melhor qualidade de vida.

REFERÊNCIAS:
ARROYO, Miguel G. Imagens quebradas: trajetórias e tempos de alunos e mestres. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2004.
LEITE, Márcia: FILÉ, Valter (orgs.). Subjetivos, tecnologia e escolas. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.
POLATO, Amanda. Um painel para todas as disciplinas mostra quando – e como- as novas ferramentas são imprescindíveis para a turma avançar. Nova escola, nº 223, pag. 50 a 58. São Paulo: Abril. 2009.
ABREU. Rosane de Albuquerque dos S. “Cabeças digitais” um motivo para revisões na prática docente. São Paulo: Loyola, 2006.



PROJETO DESENVOLVIDO NA TURMA MULTISSERIADO 4º E 5º ANO
PROFESSORA REGENTE: ANA MARGARETE
ESCOLA: PROFESSORA ANITA MARQUES DOURADO
POVOADO MEIA HORA- IRECÊ BAHIA


UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA GEAC:PRÁTICAS PEDAGÓGIAS COM TIC
ORIENTAÇÃO: MARISTELA MIDLEJ, RITA DOURADO, ARISTON EDUÃO
CURSISTAS: ELIANA TOMAZ E ANA MARGARETE

PROJETO

Título: A calculadora compreendendo o sistema de numeração decimal
Objetivos:
*Resolver problemas que envolvam a análise do valor do algarismo conforme a posição que ocupa no número.
*Utilizar as propriedades aditivas e multiplicativas do sistema de numeração posicional decimal para resolver problemas que envolvam compor e decompor números desde as unidades até a casa das centenas de milhares.

Conteúdos:
*Reflexão sobre a estrutura aditiva da numeração falada e sua vinculação com as regras da numeração escrita;
*Resolução de problemas que permitam a análise e a formulação de "regras" sobre o valor posicional; e cálculo
*Elaboração de explicações e justificativas sobre a organização do sistema de numeração posicional.
* composição e decomposição de números.

Ano: 4º e 5º

Tempo estimado: 5 aulas. Obs. Se as atividades não forem realizadas durante os cinco dias poderá estender outros dias a depender do andamento das atividades.

Material necessário:
"dinheirinho": miniaturas de papel das notas que estão em circulação no país
*Calculadoras: uma para cada criança
*Cópias de algumas das atividades: uma para cada criança
*Cartaz com respostas se algumas das atividades.
Desenvolvimento:

1ª dia - Problemas envolvendo o contexto do uso do dinheiro favorecem a compreensão da idéia de composição e decomposição dos números em "uns", "dezes" e "cens".

Para problematizar:

- Tenho 20 notas de 1 real e 4 notas de 10 reais, quanto dinheiro eu tenho?
- Micael está com 3 notas de 100 reais, 4 notas de 10 reais e 3 de 1 real, quanto dinheiro ele tem?
- Como formar 56 reais com a menor quantidade de notas de 10 e 1 real?
- Como formar 683 reais com a menor quantidade de notas de 100, 10 e 1 real?

Será um problema por vez. Cada aluno estará organizado em duplas. Eles irão conferir as respostas com calculadora. As anotações cada um fará individualmente em seu caderno.
Neste momento estarei circulando na sala para ver se algum aluno apresenta dificuldade. Então atenderei esse aluno individualmente formulando para o mesmo o problema apresentado.
As respostas serão anotadas em um cartaz, para que, em outros momentos, as crianças possam consultá-las.

2ª dia - Antes de propor os problemas previstos nessa segunda irei familiarizar os alunos e alunas com a calculadora. Para isso, pedirei que pegue a calculadora
Que números apertarão se eu quero registrar 17452, 9125, 999. Neste momento a pró estará registrando na lousa os números que eles falarem.

Problema 1: Ditado de números na calculadora

As crianças novamente serão organizadas em duplas cada um com sua calculadora. Dite um número e peça que as crianças o escrevam na calculadora. Depois, pergunte às crianças o que precisarão fazer para que apareça um zero no lugar de um dos algarismos que constituem o número (se você sentir necessidade, pode escrever o número ditado na lousa e o que deverá aparecer no visor da calculadora). Por exemplo:

- Anotem na calculadora o número 459. Sem apagá-lo, pensem que teclas vocês deverão apertar para que apareça o número 409?

Irão falar as respostas em voz alta e que anotar as teclas que vão apertando para depois poder contar como fizeram. Situá-los-ei que não podem apagar o 459. E anotado sempre que teclas apertaram para encontrar cada respostas.
Pedirei que digite5263. E sei apagar pedirei que transformem em 5.063. 25.984 em 20984. E 6275 em 6075, 7403 em 7003

Depois iremos conversar sobre o trabalho:
--Quem gostaria de falar que fez para encontrar a 1º resposta? Você teclou símbolos ou só número? Explique pra gente como foi.
--Qual número vocês sentiram mais dificuldade? O que fez para chegar a resposta?
--Agora vamos conferir as outras respostas e deixaremos registradas no cartaz.

3º dia: Iremos lembrar sobre o que fizemos nas aulas anteriores. Observaremos o cartaz e pedirei que falem como transformaram 7403 em 7003.
-
Atividade 2
Organize as conclusões das crianças numa folha (veja exemplo a seguir). Organize a turma em duplas, entregue uma cópia das suas anotações para cada criança e proponha que analisem como resolveram os problemas propostos nas aulas anteriores e procurem explicá-los.

"Vocês fizeram vários problemas em que eu ditei um número para que escrevessem na calculadora. Depois, eu pedi que, transformasse um número em outro. Lembram? Agora, vocês vão se juntar a um colega e explicar alguns cálculos para o outro. Primeiro um explica como encontrou a resposta, depois é a vez do outro. Usando a calculadora mostrando cada procedimento ao colega. Cada aluno registrará no caderno. E a professora registrará no cartaz.
PROBLEMAS: Ditados
Transformem 39.854 em 39.054. * 29.241 em 9241 *8.888 em 8.808 *2.630 em 630
*No momento da atividade a professora circulará pela classe acompanhando as duplas e ajudando-as a formular suas explicações;

Questionamentos depois da atividade:
*vocês precisaram aumentar ou diminuir o valor?
*Qual das quatro operações vocês usaram?
.
4ª dia – Calculadora quebrada
Atividade 1
*Explicarei aos alunos que iremos brincar que a calculadora está quebrada e o número 6, não está aparecendo: ex: 267, como eu faço para registrar este número na calculadora? Ex: 267
2ª questão: Agora o defeito está no número 1, como eu faço para registrar 1888 na calculadora? Estas duas questões serão resolvidas coletivamente, a pró registrando no quadro e os alunos na calculadora.
3ª questão: pedirei aos alunos que realize a atividade abaixo, será individual.
Números Teclas utilizadas
1952, tecla 2 quebrada 1000 +900+ 53 –1
4628
2140

*Depois socializaremos as questões. E a professora registrará no cartaz.
*Tarefa de casa. Para ser socializada no dia seguinte
Desta vez a tecla 5 está quebrada... Faça aparecer os números listados abaixo no visor da sua calculadora fazendo o mínimo de operações possível. Não esqueça de anotar na coluna ao lado de cada número as teclas que você digitou.
Números Teclas utilizadas
35 38 - 3 = (por exemplo)
157
9856
4524
5º dia: Socialização do para casa e revisão do que foi dão durante estes dias de trabalho.
*Quatro alunos se disponibilizarão a vir ao quadro explicando como encontrou as respostas os demais estarão corrigindo o seu fazendo o uso da calculadora. E a professora anotará as conclusões no cartaz.
Avaliação
A professora retomará as anotações que fizeram referentes aos problemas propostos na em todas as etapas que estão no cartaz. Logo irá ditar números para as crianças compostos pelos mesmos algarismos, por exemplo, 4444, 7777.

Alterne o lugar em que o zero deverá aparecer, por exemplo: "Anote na calculadora quatro mil quatrocentos e quarenta e quatro. Agora, sem apagar, transforme-o em quatro mil e quarenta e quatro."

*Agora digite quatro mil quatrocentos e quarenta e quatro e sem apagá-lo transforme-o em quatro mil quatrocentos e quatro.
*Transforme: 7777 em 7077 e sem apagar transforme em 7707.
Pedirei que as crianças expliquem como fizeram para chegar a resposta e se tiveram alguma dificuldade. A pró anotará no cartaz.
Irei pedir que anotem 66 no visor da calculadora. Com uma soma fazer com que apareça o 666, depois o 766 e em seguida o 866 em seguida 3.866 depois 23.866. Sempre usando a soma para conseguir a respostas.
Obs: as atividades desta avaliação serão individuais. A socialização será coletiva. As conclusões vão para o cartaz.
*Levar os alunos para o Telecentro ou Infocentro da escola, para trabalhar com a calculadora no computador. Desenvolver aula para outros conteúdos.

2 comentários:

Cida disse...

PARABÉNS PRÓ MARGARETE, LI ESSE TEMA "AS TECNOLOGIAS TOMANDO ESPAÇO NA SALA DE AULA", E VI QUE VOCÊ ESTÁ CADA DIA ENSINANDO COM QUALIDADE SEUS ALUNOS. GOSTO MUITO DO SEU MÉTODO DE ENSINO, E ACHO MUITO INTELIGENTE DA SUA PARTE! VOCÊ TRABALHA COM VONTADE, ENTUSIASMO E AMOR PELA PROFISSÃO. EMBORA SEJA UMA PROFISSÃO DIFÍCIL, PORQUE EXIGE MUITA PACIÊNCIA E DEDICAÇÃO E PRINCIPALMENTE DOM, E ISSO VC TEM DE SOBRA!
GOSTO MUITO DE VC E ADIMIRO MUITO SEU TRABALHO! BEIJOS

Matematica Jb disse...

NOVO OLHAR SOBRE A MATEMÁTICA, Jornal Beira do Rio, UFPA, Abril 2011,
www.jornalbeiradorio.ufpa.br/novo/index.php/2011/124-edicao-93--abril/1189-novo-olhar-sobre-a-matematica

MÁRIO SERRA - ENGENHEIRO, MATEMÁTICO E AMAZÔNIDA, Jornal Beira do Rio, UFPA, Ano XXVIII Nº 120. Agosto e Setembro de 2014,
http://www.jornalbeiradorio.ufpa.br/novo/index.php/2014/152-2014-08-01-17-25-17/1618-2014-08-04-14-34-28

RENATO PINHEIRO CONDURÚ (Belém-Pa, 25/08/1926 - 23/06/1974), ENGENHEIRO-MATEMÁTICO PARAENSE: INDO DO GUAMÁ ALÉM DO VAL DE CÃES ( solicite por e-mail: jbn@ufpa.br)

ALGUMAS MULHERES DA HISTÓRIA DA MATEMÁTICA E QUESTÃO DE GÊNERO EM C & T.
http://sitiodascorujas.blogspot.com.br/2013/06/mulheres-na-matematica.html

CONSTANTINO MENEZES DE BARROS I - MATEMÁTICO QUE LIGA O PARÁ/BR AOS MAIORES CENTROS DO MUNDO E COMPARÁVEL AOS GRANDES ÍCONES DA HISTÓRIA DA MATEMÁTICA (II a V não publicados, disponível por e-mail), (Óbidos-Pa, 19/08/1931, Rio de Janeiro-RJ, 06/03/1983), Ex-Docente UFF e UFRJ,
www.chupaosso.com.br/index.php/obidos/educacao/2149-vida-e-obra-de-constantino-menezes-de-barros

PROFESSORA SANTANA: Candidata a Melhor Docente do Ensino Básico Paraense, Blog Chupa Osso, 23 Junho 2013, www.chupaosso.com.br/index.php/obidos/educacao/2453-proessora-santana-candidata-a-melhor-docente-do-ensino-basico-paraense

SABER MATEMÁTICO E CULTURA INDÍGENA, blogue da AICL, 20 de Setembro de 2011,
http://coloquioslusofonia.blogspot.com.br/2011/09/saber-matematico-e-cultura-indigena.html

PAIRÉ CAMETAENSE: UMA BELA OBRA EM MATEMÁTICA E ENGENHARIA (não publicado, disponível por e-mail: jbn@ufpa.br)

CONHEÇA MARIA LAURA MOUZINHO LEITE LOPES, UMA DAS PRIMEIRAS DOUTORAS EM MATEMÁTICA DO BRASIL!,
http://encontrodejovenscientistas.com/2015/02/02/conheca-maria-laura-mouzinho-leite-lopes-uma-das-primeiras-doutoras-em-matematica-do-brasil/

NASCIMENTO, J.B., GOMES, S.C. L., MAGNO, C. S. E MOREIRA, A. M. S. , CICLOIDE E BRAQUISTÓCRONA, www.sobralmatematica.org/preprints/preprint_2015_01.pdf, acesso fev/15