domingo, 12 de julho de 2009

CRÔNICAS NA SALA DE AULA

alunos e alunas do 4º e 5º ano, turma multiseriada. Professora Margarete. Escola Ângelo Marques França; Povoado Meia Hora município de Irecê.


OFICINA DE CRÔNICAS COM A PROFA. RUTHILDES MOREIRA DA FONSECA
PLANEJAMENTO DE AULA: COMO ABORDAR UMA CRÔNICA EM SALA DE AULA

INTRODUÇÂO
“A leitura é um processo no qual o leitor realiza um trabalho ativo de construção do significado do texto, a partir dos seus objetivos, do seu conhecimento sobre o assunto, sobre o autor, de tudo que sabe sobre a língua...” (PCN de português pág. 53.)
Trabalhar com leitura é necessário que esteja compreendido três tipos fundamentais de conteúdos: As capacidades de leitura, os procedimentos de leitura e o comportamento do leitor.
Na prática de leitura, esses conteúdos são mobilizados pelo leitor de maneira articulada. Mas para ser um leitor competente o mesmo precisa se envolver numa prática constante de leitura de textos diversos. Para que a leitura possa se tornar um objeto de aprendizagem, é necessário que faça sentido para o aluno.
O trabalho a seguir a ser apresentado, refere-se ao desenvolvimento e aplicação de um planejamento com um gênero textual crônicas, esse tipo de texto não é tão priorizado nas salas de séries iniciais, por ser considerado um texto de difícil compreensão.
Depois do trabalho feito na oficina de crônicas aonde vimos e trabalhamos, o como abordar a crônica em sala de aula, percebi que a mesma é possível sim está presente nos nossos planejamentos. Pois, a mesma muitas vezes vem fazendo críticas irônicas, que podemos estar relacionando com um assunto ou acontecimento.
Crônica a ser trabalhada: O PORCO de Jô Soares.
Escolhi esta crônica porque a mesma aborda e faz comparações com um animal bastante conhecido e próximo da realidade dos alunos desta comunidade que, ainda considerada rural, mas já apresenta alguns aspectos urbanos. Não esquecendo ainda que este texto trás um enredo que envolve o leitor do começo até o fim. Usarei este texto também para abordar um assunto que está em manchete em todos os jornais do Brasil e do mundo, mais uma preocupação mundial, que é a epidemia da gripe do porco.


Além do mais uma da característica desta crônica é fazer críticas de alguns comportamentos dos palarmentares brasileiros ex: o porco serve para... Principalmente serve muito para o presidente xingar os outros quando ele está muito brabo... A mesma apresenta humor, ironia, leveza.

ÁREAS A SEREM ABORDADAS: Língua Portuguesa, filosofia, geografia. TEMAS TRANSVERSAIS: Saúde e Ética.

APRESENTAÇÃO DA ATIVIDADE:
Através da crônica o porco de Jô Soares, os alunos e alunas irão perceber com a ajuda da professora as características da Crônica, como humor, crítica etc. Percebendo quando o autor trata de cada destas questões. Principalmente a questão da crítica ao presidente da época, também iremos relacionar com parlamentares dos dias de hoje.
Depois deste trabalho a professora irá apresentar o gênero textual que eles leram.
Logo após entrarei numa outra questão aproveitarei o título do texto para discutir um assunto que está sendo manchete nos telejornais mundial. Neste momento a discussão se dá em torno do conhecimento deles em relação ao assunto. A professora levará suporte referente ao assunto para enriquecer melhor a discussão

PLANO DE AULA
OBJETIVOS:
*Interpretar a crônica compreendendo o seu contexto crítico fazendo relação do texto com acontecimentos do seu dia a dia, com assuntos atuais, ou não.
CONTEÚDOS ESPECÍFICOS:
*Interesse por ler ou ouvir a leitura especialmente de Crônicas, compartilhando opiniões idéias e preferências;
*Leitura e interpretação de crônicas e socialização das experiências de leitura, fazendo uma contextualização com temas atuais.
ANO ESCOLAR: 4º E 5º ano (multesseriado)
TEMPO ESTIMADO:
*80 minutos

MARERIAL NECESSÁRIO:
*Cópia da crônica a ser trabalhada;
*Quadro de giz se for necessário
*Mapa mundi

DESENVOLVIMENTO
1º MOMETO.
CONSIGNA: boa tarde pessoal hoje eu trouxe um texto, onde iremos ler e depois conversar um pouco sobre como foi a leitura que fizemos
Vocês receberão o texto separarei os em duplas para que assim, possam está conversando com o colega tirando dúvidas.
2º MOMENTO
Depois da leitura a pró pedirá que os alunos e as alunas que se organizem em circulo.
POSSIVEIS INTERVENÇÕES
*E então gostaram do texto, porque sim e porque não?
* Qual parte do texto que lhe chamou mais atenção? Sentiu dificuldade ao ler, em qual parte?
*vocês conhecem que tipo de texto é esse?
*Esta é uma crônica é um tipo de texto que os autores destes, que são chamados de cronistas, usa de qualquer pretexto para fazer uma crítica, ou ironizar comportamentos etc.
* Perceberam que Jô Soares faz uma crítica irônica? Vocês poderiam apontar e ler qual parte do texto isso acontece? E para quem ele dirige esta crônica?
*vocês conhece alguma crônica e gostaria de socializar conosco?
Obs: Neste momento a professora estará instigando os alunos a socializar as suas idéias, no momento de cada intervenção ouvirei atentamente cada um farei anotações para servir de critério para a escrita do relatório final.
3º MOMENTO:
Obs: Chamarei a atenção dos alunos para o título do texto, O PORCO.
Possíveis intervenções
*Gente este título desta crônica também está sendo discutido mundialmente, em jornais, enfim, em todos os meios de comunicação. Vocês ouviram falar alguma coisa sobre este assusto? Vamos socializar?
Neste momento explorarei o máximo dos alunos sobre o que eles já sabem ex:
*Vocês já sabe muito. Que bom estão atentos, isso é muito bom, pois, dessa forma podemos está tomando os devidos cuidados.
*Então, sabe por qual país este vírus começou a se alastrar? E quais os países que já estão sendo infectados? E aqui no Brasil já há casos ou suspeitas...? Fale um pouco.
*Vamos localizar estes no mapa mundi, saber quais os continentes que eles pertencem, se algum faz fronteira com o Brasil ou está no mesmo continente que nós estamos localizados?
Depois destas intervenções e interação dos alunos e alunas, a professora irá ler para eles na integra toda a reportagem. Neste instante a mesma estará elogiando o conhecimento de todos.
Para encerrar, farei um momento de avaliação momento de avaliação:
*E aí gostaram da atividade? O que aprenderam sobre crônicas? Gostariam de ler e ouvir mais crônicas de hoje em diante?
*A crônica de hoje, além de nós conhecermos e nos deliciarmos com o seu conteúdo envolvente, o tema da mesma nos levou a discutir outro tema atual não foi? O que vocês acharam disso?Por quê?
*Se Jô Soares escrevesse esta crônica hoje, que assunto ele abordaria?
Muito bem, então vamos encerrar e prometo trazer muitas crônicas para vocês lerem e se deliciarem ou dar muitas risadas, enfim, ler e curtir- La. Ok.

RELATÓRIO




“Conscientize-se de que o ato de leitura realmente contribui para o seu autodesenvolvimento.” (Ezequiel T. da Silva.)
Cada vez mais estou convencida que precisamos oferecer aos nossos alunos e alunas estratégias diferentes de leitura, dessa forma estamos proporcionando, para o autodesenvolvimento da leitura, mais não esquecendo que precisamos também oferecer-los diversos gêneros textuais.
Avaliei este trabalho com o gênero textual crônica bastante produtiva, pois a aula aconteceu, conforme foi planejado, alguns imprevisto surgiram, mais não alterou nem diminuiu o desenvolvimento da aula.
Ao receber o texto os alguns alunos arriscaram dizendo que era um conto, outros disseram que deveria ser uma lenda, e assim o comentário foi fluindo. Neste momento interferi dizendo que era uma boa discussão, mas, iríamos fazer isso por partes, No primeiro momento nos dividiremos em duplas, onde um ler para o outro ouvir, depois troca de posição, conforme a dupla decidir. Ou faremos a leitura individual. Apenas dois alunos quiseram fazer individual, mas como todos estavam em duplas eles acabaram se juntando.
Enquanto eles faziam a leitura eu passava de cadeira em cadeira, observando a leitura, percebi que alguns alunos soltavam risos, um chegou até dizer que era muito engraçado.
Depois da leitura a eu perguntei se todos entenderam alguns alunos disse que não entenderam muito, neste momento eu pedi para ler mais uma vez, e eles ouviram atentamente, fiz uma leitura bem entoada, a mesma fez com que os alunos e alunas ouvissem atentamente e nos momentos que aparecia humor era uma gargalhada só.
Assim, iniciei a fazer as intervenções, neste momento seria inútil perguntar o que acharam do texto, com certeza diriam que é engraçado. Então várias conversas surgiram, no momento das intervenções. Um aluno disse que o texto fala do porco de maneira engraçada, ainda disse que ele já havia comparado também o nariz do porco com uma tomada; o outro colega continuou dizendo que o mais engraçado era a parte que diz: Não adianta ligar na tomada... Completou dizendo que tinha mais partes do que comparava.
Neste momento eu perguntei se eles ainda confirmariam que o texto era uma lenda ou conto etc. Mas no mesmo instante quase todos disse que não. Porque era diferente.
Algumas intervenções que não estavam prevista foram surgindo, o tempo todo:
*Vocês sabe como se dá o nome pra esse jeito de se comportar, dando risada do texto?
Todos responderam não, neste caso tive que falar um pouco sobre o gênero textual crônica, que as mesmas podem apresentar em suas características, o humor que é quando a mesma faz agente rir, quando fala de um jeito descontraído, como ele fala do porco o texto se torna leve, gostoso de ler. E então eu falei que o texto era uma crônica. Apenas dois alunos disseram que já tinham ouvido deste tipo de texto. Ainda falei que apresenta uma principal característica e ainda não fora percebido no grupo.
Apesar de todas essas conversas percebi que os alunos não estavam sabendo o que era uma crítica, neste caso era difícil apontar criticidade no texto, e principalmente a quem era direcionados. Então perguntei se todos tinham lido a última linha do texto onde está escrito: HUMOR NOS TEMPOS DO COLLOR...
Como eu já sabia que os alunos estavam fazendo uma linha do tempo dos presidentes do Brasil até nos dias de hoje. Pois sou a professora formadora da escola, e acompanho todos os planejamentos. Perguntei quem foi Collor, e todos disse como eu havia previsto. Foi aí que eu achei uma abertura para falar:
-QUEM GOSTARIA DE LER ALGUMA PARTE DO TEXTO ONDE O AUTOR MECIONA O PRESIDENTE?
-VOCÊS ACHAM QUE O PRESIDENTWE COLLOR GOSTOU DO QUE JÔ SOARES FALOU? POR QUÊ?
- CONHECENDO O COMPORTAMENTO DE ALGUNS REPRESENTANTES POLÍTICOS HOJE, VOÇÊ ACHA QUE E O AUTOR DO TEXTO FALOU ALGUMA INVERDADE? VOCÊS PODEM COMENTAR SE QUISER, PARA REFORÇAR E JUSTIFICAR SIM OU NÃO COM ALGUMA PASSAGEM VISTA NA TELEVISÃO OU RÁDIO, ETC.
Depois desta discussão que foi muito rica e proveitosa, eu expliquei-os que isso que o texto faz é uma crítica. Ainda fiz a diferenciação entre uma crítica ser ou não construtiva.
Quando eu abordei o tema atual, a gripe do porco todos já sabia sobre tudo, até os países já contaminados eu só entrei com as notícias mais recentes e número de pessoas que estão confirmados contaminados e até números de mortes.
O trabalho foi ótimo os alunos e alunas opinaram, participaram da aula, etc. Apenas alguns alunos começaram bagunçar, mas foi inútil a maioria estavam muito envolvidos.

A PROUCURA DE UM CRONISTA EM IRECÊ
Fui procurar Pedro professor da rede Municipal de Irecê, atualmente está trabalhando no colégio Marcionílio Rosa. E leciona no Colégio Luis Eduardo Magalhães, sendo este estadual. Dar aula de língua inglesa, o mesmo tem licenciatura plena em inglês.
Ele é graduado em letras e filosofia também tem pôs graduação em letras. Fez mestrado em letras, mas não concluiu alguns trabalhos finais, ficando assim de fora da formatura.
Já viajou muito pelos países da América do Sul, alguns países da África e residiu por alguns anos em Portugal, lugar onde encontrou e casou-se com sua esposa onde até hoje.
Especialmente ele afirmou que não escreve só crônica mais escreve poesia, sonetos. Já publicou as crônicas para os jornais e revistas em São Paulo, e publicou também para o jornal cultura e realidade de Irecê.
Para escrever o mesmo revelou que muitas vezes se valia de alguma coisa banal para criticar ou elogiar alguma coisa ou alguém. Sendo as principais preferências para escrever, são os assuntos relacionados à Política, economia, social, Ecologia, Sociologia.
A última crônica escrita foi uma homenagem a o saudoso Doutor Hermenilton, cidadão de Irecê. Foi o mesmo que praticamente fundou a biblioteca inserida no espaço UFBA. Ele disse que foi muito criticado quanto ao, disseram que ele foi muito erudito e profundo. Mas que o desfecho muita gente gostou.
No momento não pode disponibilizar algumas crônicas, pois alegou que com mudanças de casas perdeu uma pasta que continha mais de duzentos e cinqüenta cópias do seu trabalho. Entre eles havia recortes de todos os jornais e revistas que publicava seu trabalho. Alguns únicos textos que ainda tinha ele emprestou a algumas das cursistas que a procuraram antes.
Avalio este trabalho como bastante produtivo, posso dizer que estou com certeza enxergando a crônica com outros olhos, defendendo que a mesma precisa estar sim, nas salas, mesmo as de séries iniciais, basta que nós professores saibam selecionar as propícia para cada turma. Dessa forma o nosso alunado só estará aumentando o repertório dos diversos tipos de textos.

2 comentários:

lairde disse...

Olá Lety
Eu já tenho a pr´atica de ler crônicas aos meus alunos há tempos. Gostaria, se você tiver, que me enviasse o texto da cronica O porco, pois não tenho e não consegui encontrar na Internet. Meu email lairde@terra.com.br. Obrigada Lairde

disse...

Bom dia, Lety...
Gostei de sua ideia e como tenho trabalhado crônica com monhs turmas, gostaria de usar sua ideia, no entanto, eu não tenho a crônica "o porco" de Jô Soares. Tem como você enviá-la para mim?
Meu e-mail é: re_alves2005@yahoo.com.br
Agradeço imensamente.
Professora Regina